60861381-mulher-madura-na-ilustra%ef%bf%bd%ef%bf%bdo-da-praia-vector-senhora-s%ef%bf%bdnior-seca-com-uma-toalha-depois-de-se-bronzear-nEnvelhecimento Ativo é ter ousadia e fazer uma “revolução” a cada dia.

Hoje fiz a minha às 8h da manhã. Vesti meu hot pant (a parte de baixo do antigo duas peças) com o meu cropped (um bustier com manguinhas bem fashion) e, sem olhar no espelho, cheguei à areia.

Antes de sair, coloquei na sacola 2 bananinhas sem açúcar, uma garrafa pequena de água de coco, celular para ouvir musica, cartão para eventuais comprinhas e um trocado para eventualidades.

Pensei: tomo tanto antidepressivo (há décadas, nada a ver com meu envelhecimento): quem sabe posso substituir um remédio por uma dose de prazer. Prazer não é só sexual. Tudo que nos alegra é prazer.

O sol estava delicioso. Guardei a sandália e a uma calça de seda bem antiga na sacola. Fui andando pela areia molhada durante uma hora. Que mudança no meu humor!

Na praia, maduritos de todas as etapas (de envelhecimento), homens, mulheres, bem à vontade nos seus trajes de banho e no bronzeado. Mergulhei muito. Pedi uma pessoa para olhar.

Ganhei a semana e tomei uma decisão: vou repetir minha ousadia durante todo o verão até o outono.

Gente, há amarras que não são culturais nem estéticas e muito menos religiosas: são frustrantes e cabe a nós rompê-las. Ninguém deve envelhecer sem confrontá-las.

Thereza Christina Jorge, editora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *