Lares de idosos à espera do Covid 19 ou da sanção do Projeto 1888/20 até o dia 29

Estacionados na mesa de Jair Bolsonaro (sem partido) estão  projetos de lei para pagamentos emergenciais, aprovados a toque de caixa pelo Congresso Nacional para conter os estragos causados pela covid-19. Os textos tiveram grande apelo público e foram aprovados de forma unânime pelo parlamento, neste mês.  Os mais atrasados são  o PL 1888/20, para dar auxílio a asilos, oficialmente chamados de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs). O  outro é o PL 1075/20, que trata de ações emergenciais destinadas a trabalhadoras e trabalhadores da cultura. Ambos foram recebidos pelo Executivo em 9 de junho e têm prazo final para sanção no dia 29 do mesmo mês.

“Os idosos são uma população diferenciada no sentido de resposta imunológica. Não necessariamente ele vai fazer febre, ele vai ter aquela respiração mais curta. O quadro clínico é bem mais silencioso”, alerta a infectologista Rosana Richtmann.

O controle da epidemia fica ainda mais difícil porque muitos locais não tem como isolar seus doentes. A grande maioria das casas são pequenas, de 10 a 20 moradores e a maior parte não tem possibilidade de fazer o isolamento e a testagem que são indicados. A Sociedade Brasileira de Geriatria recomenda que casos leves sejam tratados dentro das instituições.

No mês passado, começou uma ação para testar a população no maior número possível de casas de repouso em todo o país. O projeto, chamado Corona Zero, é do Rotary, uma rede internacional de serviços voluntários.

E um dado exclusivo divulgado domingo pelo Fantástico: de 47 casas testadas, a maior parte no estado de São Paulo, 22, quase metade tinham surtos de Covid-19. Nessa condição, as instituições se veem diante de um enorme desafio: como proteger vidas dessa população tão vulnerável ao novo coronavírus?

Quem quiser conhecer mais ou ajudar a campanha do Rotary Clube
pode acessar o site www.coronazero.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *